Este texto fala do WordPress, mas se aplica a qualquer programa com código aberto.

As pessoas às vezes se confundem. De tanto ouvir “não mexa nos arquivos do core do WordPress, senão você vai perder tudo na próxima atualização”, alguns de nós desistiram de tentar entender o programa e passaram a usar só uma caixa-preta: com uma determinada entrada eu sempre tenho uma determinada saída. Pensar assim é péssimo, tanto para a sua vida profissional quanto para a própria ferramenta.

Estátia de Antonio Canova: detalhe da mão de Perseu segurando a Medusa. Metropolitan Museum.
O código do WordPress não é a Medusa não, pode olhar tranquilo.

Você não precisa saber o caminho completo: do seu tema WordPress até os bytes que vão chegar no processador do seu servidor, mas ter uma ideia do que está sendo executado em PHP, pelo menos, é importante. Se a cada função importante que usar, você der uma olhada no código-fonte lá no developer.wordpress.org, provavelmente você vai descobrir mais alguma função útil no caminho. Para um exemplo rápido, a função the_content() tem só 4 linhas de código e uma delas é $content = apply_filters( 'the_content', $content );. Sabendo disso você pode aplicar esse filtro em qualquer outra variável, como aquele textarea que você criou para o seu cliente na edição de um CPT.

Se você cria temas e sabe como o esquema de enfileiramento de arquivos CSS funciona, você sabe como resolver aquele tema filho que não puxa o style.css do pai. Para isso é preciso ler a documentação e entender como o código funciona e não só copiar e colar o mesmo código toda vez. Os snippets disponíveis na internet são ótimos por um lado, porque fornecem a solução bem rápido, mas são péssimos no sentido de que dão o peixe mas quase nunca ensinam a pescar.

Usar o WordPress como uma caixa-preta é ruim para o próprio WP também. Imagine que você usou uma função e, ao invés do retorno que você esperava, recebeu um erro. Você pode tentar entender por que aconteceu o erro, consertar e mandar a correção para a comunidade avaliar. Ou, ao invés disso, você pode apenas registrar na sua mente que usar aquela função daquele jeito não funciona e esperar que, um dia, um outro alguém conserte para você. Um outro alguém. Percebe como essa posição é preguiçosa?

Fui daquelas crianças que desmontava o carrinho para depois montar, então isso é importante pra mim. A diferença aqui é que se você remontar tudo e sobrar alguma peça você não precisa esperar ganhar um carrinho novo, é só ir lá e baixar o programa de novo.